06/05/2019 00:00

 

Jó (23/02/1955) §§ 67-68, Phoenix, Arizona, EUA.

Lá está Ele, indo lá para o Calvário. Enquanto Ele está subindo ao monte, e o Seu pobre e pequeno ombro raspado, a velha abelha da morte está zumbindo em torno Dele: “Não vai demorar muito até eu ir buscá-Lo”. Zumbindo por todos os lados, e depois de algum tempo ela teve que picá-Lo. Mas, sabe amigo, se alguma vez uma abelha picar alguém profundamente, ela não pode mais picar. Ela arranca o seu ferrão fora. Então, ela não tem mais nenhum ferrão. E eu te digo, essa é a razão pela qual Deus Se fez carne, aqui na terra, a fim de segurar o ferrão da morte. E agora o – a morte não tem mais ferrão. A abelha pode enxamear e zunir, mas ela não pode picar. [“Amém”; “Glória a Deus”] “Ó morte, onde está o teu aguilhão? Sepultura, onde está a tua vitória?”. Mas Cristo, o parente Redentor fez um caminho de escape para cada crente nesta terra hoje. A abelha pode zumbir; a abelha pode zunir; a abelha pode tentar deixá-lo com medo. Mas eu posso apontar lá para o Calvário, onde o próprio Deus Se fez carne, quando Ele segurou o ferrão da morte, e tomou o meu lugar como um pecador, e pagou o preço.