A Ordem da Igreja

30/04/2018 00:00

 

A Ordem da Igreja (07/10/1958) § 21

Eu acho, em primeiro lugar, que cada membro, ou cada adorador do Tabernáculo Branham, deveria estar tanto no amor divino um pelo outro até que isso fizesse – os seus corações sentirem saudades um pelo outro quando eles têm que ir embora, para deixar um ao outro no culto da noite. Eu sou um verdadeiro crente no amor divino. O apóstolo Paulo disse que isso era a evidência do Espírito Santo. “Por esta forma, todo o homem saberá que sois Meus discípulos”, disse Jesus, “quando vocês têm amor um pelo outro”. E nós cremos que foi o amor de Deus que enviou Jesus Cristo à terra para morrer por todos nós. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o Seu Filho Unigênito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. E a Vida Eterna aqui é “a própria vida de Deus”, porque nos tornamos filhos e filhas de Deus pelo batismo do Espírito Santo, que é a Semente de Abraão, e nos dá a fé que Abraão teve, quando ele creu em Deus antes mesmo que ele fosse circuncidado.