William Branham Mencionado nas Visões de Rick Joyner

16/06/2013 13:16

Rick Joyner é um ministro, escritor e conferencista mundialmente reconhecido, fundador do ministério Estrela da Manhã. Sua primeira obra escrita na segunda metade dos anos noventa “O Campo de Batalha”, relata suas visões que ele supostamente teve além da cortina do tempo sobre os santos que viveram no passado e de sua atual posição no reino de Deus. Porém o que nos chama a atenção é a descrição que ele faz em um dos capítulos do seu livro, a um ministro cujo nome ele preferiu ocultar, mas que indubitavelmente nos remete ao irmão William Branham por afirmar ter sido um grande evangelista unanimemente reconhecido como detentor de um poder que não se igualou desde a igreja primitiva.

 

Para propiciar ao leitor uma análise crítica dos fatos, decidimos transcrever aqui uma pequena biografia publicada sobre Jack Joyner, seguido de suas palavras sobre a visão do evangelista como foi publicada em seu livro, a fim de que o leitor possa avaliar e tirar suas próprias conclusões.

 

Rick Joyner

 

Rick Joyner dirige o Ministérios Estrela da Manhã (também conhecido como Publicações e Ministérios Estrela da Manhã), que ele co-fundou com sua esposa Julie Joyner, em 1985. Ele também é o fundador, diretor-executivo e pastor sênior da Igreja Companheirismo Estrela da Manhã fundado em Fort Mill, Carolina do Sul.

 

Biografia

 

Rick Joyner se converteu ao cristianismo no início de 1970, e o seu ministério começou após um período de renovação espiritual em sua vida, durante a qual ele escreveu uma série de livros baseados em sua afirmação de uma revelação profética de três dias e da visão do estado da Igreja e de eventos eminentes do tempo do fim.

 

A igreja que ele conduziu durante o final dos anos 1970 no Raleigh, na Carolina do Norte, terminou por volta de 1980. Joyner retomou o ministério no final da década, enquanto alguns sites dizem que ele retomou o ministério por volta de 1987. Ele está intimamente associado com o evangelista Todd Bentley, ex-líder do Derramamento Lakeland. Em março de 2009, ele anunciou seu papel de orientador da reabilitação de Bentley.

Ele é casado com Julie Joyner e tem cinco filhos: Anna, Aaryn, Amber, Ben e Sam.

 

A Escola Estrela da Manhã


Ele também supervisiona a Universidade da Estrela da Manhã, Companheirismo de Ministros, e Companheirismo de Igrejas. Ele edita o Jornal Estrela da manhã e O Boletim Profético Estrela da Manhã. O objetivo do seu ministério é o mandamento bíblico de Mateus 24:45-46, bem como o compromisso de equipar os futuros líderes e de trabalhar no relacionamento com os atuais líderes para preparar e fortalecer a igreja para os últimos dias. Esta organização tem várias filiais na Carolina do Norte: Charlotte, Wilkesboro, Wilmington, e Winston-Salem.


Livros


Joyner também é um conhecido autor de mais de trinta livros, incluindo o best-seller a série “A Batalha Final” (foto ao lado) publicada pela Publicações Estrela da Manhã. Ele é um orador muito procurado em conferências internacionais. Vários de seus livros são sobre o ministério profético na igreja moderna, incluindo vários livros (A Colheita, A Batalha Final) baseado em revelações celestes que ele mesmo afirma ter recebido, sempre salientando que não pode contradizer a revelação profética das Escrituras.

 

A Batalha Final é o primeiro livro de uma série de três livros escritos por Rick Joyner. Publicado pela primeira vez em 1997, o livro foi escrito a partir da perspectiva do autor relacionado a uma série de visões livres que ele experimentou. O livro foi firmemente aceito por alguns, embora firmemente rejeitado por outros. Isto é devido às muitas características que o tornam controverso entre os círculos de conservadores cristãos evangélicos. Muitas dessas controvérsias decorrem do fato de que Joyner afirma ter sido transportado para o céu e ter tido longas conversas com Jesus, bem como com os santos do passado. O livro fala da guerra espiritual e de uma iminente “guerra civil” dentro da igreja, onde os Santos verdadeiros e fiéis continuam em frente e aqueles que são peso morto cairão. Ele também fala da “sala do trono”, onde Joyner viu santos em posições diferentes, alguns como “virgens néscias”, que residiam longe do trono, e outros como “vencedores”, que estavam em tronos próximos do trono de Jesus. Tornou-se óbvio para Joyner que muitos daqueles que ele considerava grandes líderes cristãos na terra eram na verdade os menores aos olhos de Deus, e alguns que ele considerava serem “ninguéns” eram, na verdade, os maiores reis no reino de Deus. Joyner viu um homem que considerava que havia “saído dos trilhos” em seu ensino, sentado em um grande trono na parte mais alta da sala do trono. Este homem é acreditado ser o falecido William Branham (embora Joyner não mencione o seu nome, sua descrição do homem torna isto óbvio).

 

Alguns alegam que Joyner havia escrito o livro como ficção para que o livro pudesse ser comercializado para um público maior e evitar as muitas das controvérsias em torno dele; no entanto os outros (incluindo o autor) dizem que o autor não pode mentir sobre o que aconteceu com ele. Joyner escreveu que ele não está totalmente certo de que as conversas que ele teve com os santos do passado fossem realmente pessoas reais, ou se elas eram uma representação delas.

 

 

O texto abaixo, é a tradução na íntegra da passagem do livro A Batalha Final, onde Joyner menciona sua visão sobre William Branham assentado em um elevado trono, embora ele não mencione o seu nome, chamando-o apenas de evangelista.

 

Encontro Com o Evangelista

 

Ao ouvir estas palavras, senti-me compelido a olhar para cima em direção a um dos tronos ao meu lado. Imediatamente vi um homem que eu reconhecia. Ele tinha sido um grande evangelista quando eu era criança, e muitos achavam que ele havia andado em mais poder do que qualquer um desde a igreja primitiva. Eu tinha lido sobre ele e tinha escutado algumas de suas mensagens gravadas. Era difícil não ser tocado pela sua humildade genuína, e o amor óbvio que ele tinha pelo Senhor e pelas pessoas. Mesmo assim, eu também pensava que alguns de seus ensinamentos fossem seriamente incorretos.

 

Eu fiquei surpreso, mas também aliviado, ao vê-lo sentado em um trono grande. Fui tomado pela humildade e amor que ainda exalava dele. Quando eu perguntei ao Senhor se eu poderia conversar com esse homem, pude ver o quanto o Senhor o amava. No entanto, o Senhor fez sinal para eu continuar andando, e não me permitiu falar com o evangelista.

 

“Eu só queria que você o visse aqui”, explicou o Senhor, “e compreendesse a posição que ele tem Comigo. Há muito para você entender sobre ele. Ele foi um mensageiro para a Minha igreja dos últimos dias, mas a igreja não pôde ouvi-lo por razões que você irá entender em tempo útil. Ele caiu no desânimo e na desilusão por um tempo, e sua mensagem foi distorcida. Ela deve ser recuperada, bem como as partes que Eu tenho dado a outros que também foram distorcidas”.

 

Sabendo que tudo aqui aconteceu no tempo perfeito com tudo o que era para eu aprender, comecei a pensar sobre como ver esse homem deve ser relacionado com o que tínhamos há pouco falado – o potencial do poder para corromper.

 

“Sim. Há um grande perigo em andar com grande poder”, o Senhor respondeu. “Isso tem acontecido com muitos dos Meus mensageiros, e isso faz parte da mensagem que estão a dar para a Minha igreja dos últimos dias. Você deve andar em Meu poder, e até mesmo em poder muito maior do que estes experimentaram. Mas se alguma vez você começar a pensar que o poder é o Meu aval para você, ou mesmo para a sua mensagem, você abrirá a porta para a mesma ilusão. O Espírito Santo é dado para testemunhar somente de Mim. Se você for sábio, como Paulo, você vai aprender a glorificar mais em seus pontos fracos do que em seus pontos fortes”.

 

“A verdadeira fé é o verdadeiro reconhecimento de Quem Eu sou. Não é nada mais e nada menos. Mas você deve sempre se lembrar – mesmo que você permaneça na Minha presença e Me veja como Eu sou, você ainda pode cair se você Me desprezar e olhar para trás de si mesmo. Foi assim que Lúcifer caiu. Habitou nesta sala e viu a Minha glória e a glória do Meu Pai. No entanto, ele começou a olhar para si mesmo mais do que ele olhou para Nós. Ele então começou a ter orgulho em sua posição e poder”.

 

“Muitos dos Meus servos que foram autorizados a verem Minha glória e serem encarregados de Meu poder caíram da mesma forma como Lúcifer. Se você começar a pensar que é por causa de sua sabedoria, sua justiça ou até mesmo a sua devoção para a doutrina pura, você também irá tropeçar”.

 

Tradução: Diógenes Dornelles

 

Fontes: Site www.shelfari.com; livro The Final Quest.

 

Deixe Aqui o Seu Comentário

Data: 12/10/2013

De: Marco Antonio

Assunto: O irmão Branham sentado em um trono.

Esta descrição feita pelo Ministro Rick Joyner parece combinar com a afirmação feita pelo irmão Branham quando na visão sexta dimensão ele foi colocado em um lugar elevado:
Oh, meu precioso irmão!” E me levaram, e me colocaram num enorme lugar elevado.
Pensei: “Não estou sonhando. Estou olhando para o meu corpo deitado aqui embaixo na cama.”
E me colocaram ali em cima. E eu disse: “Oh, eu não deveria sentar aqui em cima.”
Um Rei Rejeitado 148 a 150.

Data: 13/10/2013

De: Diógenes

Assunto: Re:O irmão Branham sentado em um trono.

Sim, de um certo modo poderia ser isso, mas como foi dito nas palavras introdutórias, Joyner não estava seguro de que suas conversas eram reais, com pessoais reais ou se tudo que ele viu seria apenas uma representação simbólica dos fatos e eu creio que para não invalidar completamente tudo que ele disse a respeito do ir. Branham, o que ele viu poderia ter sido apenas isso, ou seja, apenas uma representação aproximada sobre seu chamado ministerial e o seu papel dentro da mordomia de Deus para a Sua igreja e não exatamente como é ou que viria a ser. O fato de a Joyner não ser permitido falar com o ir. Branham na visão também poderia ter uma mensagem simbólica inserida aí. Poderia ser porque durante a sua vida e ministério ele mesmo não daria ouvidos à mensagem desse mensageiro?

Novo comentário