Vindicação de William Branham de Ataque Pela "Revista Profecia"

23/12/2011 00:25

Vindicação de William Branham de Ataque Pela "Revista Profecia"

 

Esta é uma matéria publicada pela revista “A Voz da Cura” de novembro de 1954, mencionando o testemunho de um ministro inglês que presenciou in loco, a cura da Senhorita Florence Nightingale Shirlaw, quando o irmão Branham orou por ela de passagem pela Inglaterra em 1950. Este testemunho somado com o da própria Senhorita Nightingale, ajudou a desmascarar um artigo publicado numa revista inglesa que chamava William Branham de falso e que a Senhorita Nightingale nunca havia sido curada.

 

Tanto em vida como depois de sua morte, William Branham sempre foi perseguido por incrédulos que por meio de mentiras procuravam desacreditar o seu ministério e sua Mensagem, por inúmeros motivos. Mas a grande verdade é que Deus sempre esteve do lado de Seu profeta vindicando a comissão que lhe foi dada; e mesmo hoje, Deus continua fazendo isso, dando-nos provas infalíveis de Sua realidade, e de que a Mensagem entregue por William Branham é a Sua Palavra restaurada para a Noiva eleita do tempo do fim.

 

Satanás sempre fez uso de mentiras para tentar aviltar essa Mensagem e o ministério de William Branham, porém a verdade sempre tem prevalecido provando ser este um ministério genuíno. E jamais mentira alguma pôde prevalecer frente ao ministério do irmão Branham, tanto no presente como no passado, como nos mostra essa matéria que transcrevemos aqui na sua íntegra, o qual dará ao leitor uma prova dessa realidade. O editor da “Voz da Cura”, Rev. Gordon Lindsay, começa o seu artigo dizendo: 

 

 

Um sério ataque foi feito ao irmão Branham pela “Revista Profecia” a qual, na realidade, declara que o irmão Branham é um falso, e que a cura da Senhorita Florence Nightingale Shirlaw, a quem ele ministrou, era uma farsa. O caráter insolente e vitriólico do ataque trai o espírito de Satanás daqueles que fizeram isto. O editor de A Voz da Cura estava presente na ocasião em que a Senhorita Florence Nightingale Shirlaw recebeu oração (embora não no quarto). A carta a seguir veio do Rev. Gwilam I. Francis, que também esteve presente na época em que esta mulher recebeu oração. Sua carta fala por si mesma. (Por coincidência, o Rev. Gwilam I. Francis da Estrada King Edward, nº. 98, Swansea, Glam, Gales do Sul, está vindo para a América em breve. Aqueles que desejarem contatá-lo, ou convidá-lo para uma reunião podem escrever para este endereço. Ele é um proeminente evangelista, viajante e escritor e tem discursado em grandes convenções e reuniões de jovens. Ele estará disponível desde abril até junho de 1955). 

Gordon Lindsay, editor. 

 

Amado irmão Lindsay: 

 

Saudações. A fim de me apresentar, sou o ministro que encontrou o irmão William Branham e o grupo de quatro membros, que incluía você mesmo, no Aeroporto de Londres, na Sexta Feira Santa de 1950, e você se lembrará que na tarde seguinte, no domingo, o irmão Branham e eu visitamos a Senhorita Florence Nightingale Shirlaw, na casa de sua mãe na Clarendon Road nº. 11, em Londres, W.II. A notícia da investigação a respeito da Senhorita Shirlaw chegou até a mim, mas eu não tenho entrado em contato com The World Science Review, quando na realidade havia alguns pequenos detalhes no relato de Julius Stadsklev que não estavam totalmente exatos, mas eles não afetam de modo algum na cura milagrosa de nossa irmã, a Senhorita Shirlaw. Nós fomos as únicas quatro pessoas no quarto daquela tarde de domingo, consistindo na Senhorita Shirlaw, sua mãe, o irmão Branham e eu mesmo, e você provavelmente se recordará que nós ficamos lá por mais de uma hora. Quando a atmosfera parecia ter sido mudada com a presença e o poder de Deus, o irmão Branham pegou a mão da Senhorita Shirlaw e ofereceu uma curta oração, depois que ele pediu a ela que comesse. Isso foi tudo que aconteceu naquele quarto. E você se lembrará que o irmão Branham, você mesmo, o irmão Moore e o irmão do irmão Branham, retornaram para a sua casa para o chá. Ainda que a recuperação da Senhorita Shirlaw levasse algumas semanas, eu estava em constante contato com ela durante este período. Sua cura, no entanto, foi milagrosa, e eu posso confirmar a exatidão de ambas as suas fotografias, antes e depois da visita do irmão Branham.

Qualquer outra informação que você queira requisitar sobre este assunto, eu ficarei muito feliz em escrever a você quando requisitado. 

 

Rev. Gwilam I. Francis. 

 

Fonte: Revista "Voz da Cura" Volume 7, nº. 8, novembro de 1954.

 

Em 24 de janeiro de 1950, o irmão Fred Bosworth mostrou a William Branham uma foto de uma Florence Nightingale de Durban, África do Sul, que sofria de câncer na entrada do estômago, que foi fazendo com que ela lentamente morresse de fome. Ela era uma mulher alta, mas agora pesava apenas cerca de vinte e dois quilos e era um mero esqueleto. Ela havia escrito pedindo para o irmão Branham para vir à África do Sul para orar por ela. Soube-se que ela era uma parente distante de Florence Nightingale, que fundou a Cruz Vermelha. Naquela noite eles oraram para que Deus pudesse torná-la completamente sã. 

 

Oito semanas mais tarde, enquanto no caminho para a Finlândia, o grupo Branham desembarcou na Inglaterra e quando eles entraram no aeroporto internacional, o nome de William Branham foi chamado pelo sistema do auto-falante público. Florence Nightingale havia chegado ao aeroporto apenas 15 minutos antes e os que com ela vieram queriam que o irmão Branham viesse orar por ela rapidamente, porque ela estava morrendo. 

 

Quando eles se conheceram em seu hotel, ninguém no grupo alguma vez tinha visto uma mulher em um estado tão lamentável. Ela estava tão magra que sua pele se aderira aos seus ossos e até mesmo se aderira para trás através dos vazios em sua pélvis. Sua dor e fraqueza era tanta que descrever era quase impossível. 

 

Ela perguntou se poderia apertar a mão do irmão Branham, requisitando à enfermeira para levantar a sua mão, porque ela era pouco mais do que apenas ossos. Ela implorou para que ele orasse para que Deus a deixasse morrer. Ele perguntou a ela: “Você é cristã?”. E ela sussurrou: “Sim”. 

 

O irmão Branham então guiou os presentes numa simples oração. Ao se ajoelharem, ele começou: “Deus Todo-Poderoso, Criador dos céus e da terra, Autor da Vida Eterna, doador de toda a boa dádiva...”. Quando ele chegou a esse ponto, uma pomba voou desde o grosso nevoeiro de Londres e pousou no parapeito da viúva. Ela permaneceu lá arrulhando e andando ao longo do peitoril até que a oração fosse concluída com um “Amém”. Em seguida, ela voou de volta para o nevoeiro. Um ministro da Igreja da Inglaterra estava entre os presentes e perguntou: “Você notou aquela pomba?”. E um outro ministro informou: “Não era um animal de estimação”. Quando o irmão Branham começou a dizer que ele havia pensado que fosse um animal de estimação, o Espírito de Deus pairou sobre ele e ele teve uma visão de Florence Nightingale andando por uma rua em perfeita saúde.Imediatamente ele declarou: “Assim diz o Senhor, irmã, você viverá e não morrerá”

 

Enquanto saíam do quarto, o irmão Ern Baxter engasgou: “Como ela poderia viver? Deus precisará criar uma nova mulher”. 

 

Oito meses depois, o irmão Branham recebeu outra foto de Florence Nightingale, desta vez mostrando um retrato de sua saúde pesando 70 quilos. Ela retomou a sua carreira própria de enfermagem. 

 

Em 1960, o irmão Branham relatou que uma revista na Inglaterra havia publicado um artigo afirmando que o testemunho de Florence Nightingale era falso e então ele procurou por uma cópia do artigo para que fosse enviado a ela na Inglaterra, onde ela estava morando. Florence Nightingale foi até o homem que havia escrito o artigo e o desafiou com: “Quem disse que este testemunho não estava certo?”. O homem então escreveu para o irmão Branham uma carta de desculpas, informando que ele havia “tomado a palavra de uma outra pessoa para isso”. 

 

 

Salve este arquivo

 

Fonte: http://www.williambranhamstorehouse.com/ 

 

Tradução: Diógenes Dornelles 

 

Deixe Aqui o Seu Comentário

Data: 09/09/2016

De: roberto de oliveira rosa

Assunto: comentar

sim ir , sabemos das maravilhas de DEUS ,NAQUELE MINISTERIO,evangelistico, GLORIFICADO SEJA DEUS

Novo comentário