Um Homem Correndo da Presença de Deus

19/05/2017 00:00

 

Um Homem Correndo da Presença de Deus (17/02/1965) §§ 35-36, Jeffersonville, Indiana, EUA.

E nesta poesia, apenas observe como ocorre. Sentado lá, um menininho com uma folha de papel emprestada, eu disse: “Saudoso estou, oh, tão saudoso daquele longínquo sudoeste, Onde as sombras caem mais profundas além do topo da montanha. Posso ver um coiote andando pela névoa avermelhada; Posso ouvir o lobo uivar lá onde o gado pasta. E algum lugar no desfiladeiro acima posso ouvir o gemido de uma onça, Naquelas distantes Montanhas Catalinas nos confins do Arizona”. Quarenta anos mais tarde, encontrando-me bem naquele desfiladeiro, aquela onça me encarando. Ó Deus, há um Cordeiro além do rio, em algum lugar, amigos. É apenas... Tem que estar lá. Está vendo? Há – há muito que fala disso. Todas estas coisas não são simplesmente mitos; elas são... Elas são reais. Elas são realidades. Estou tão contente em estar aqui hoje à noite, de estar com estas pessoas com as quais espero viver Lá para sempre, onde não haverá mais doença, ou morte, ou separações. E o viajar não será nada para nós então.