16 DE DEZEMBRO

16/12/2016 00:00

1631 - Ocorre a erupção do vulcão Vesúvio, ao sul da Itália, em que cinco cidades ficam destruídas, matando mais de três mil pessoas. 

1770 - Nasce o compositor Ludwig Von Beethoven. 

1835 - Um terrível incêndio se espalha por Nova York, destruindo mais de 600 prédios e causando US$20 milhões de prejuízos. 

1857 - Um terremoto em Nápoles causa a morte de 12 mil pessoas. 

1865 - Nasce no Rio de Janeiro o poeta Olavo Bilac, figura de grande importância para a política brasileira. 

1900 - Um forte temporal no porto de Málaga afunda o navio-escola imperial alemão Gneisenau. A tragédia causa a morte de 41 dos 466 tripulantes. A catástrofe é lembrada até hoje no famoso porto espanhol. 

1916 - É assassinado em Moscou, o monge Rasputín, considerado como má influência pela família imperial russa. 

1920 - Um terremoto na província de Kan-Su, na China, causa a morte de 180 mil pessoas.  

1930 - Instalado movimento revolucionário na Guatemala, contra o presidente Baudilio Palma. 

1945 - O príncipe Fuminaro Konoe, duas vezes primeiro-ministro do Japão, suicida-se poucos dias antes de ser julgado por crimes de guerra. 

1951 - O Uruguai aprova o fim da presidência da república. 

1960 - O choque de dois aviões em Nova York causa a morte de 131 pessoas. 

1969 - A pena de morte como forma de punição a acusados de homicídio é abolida na Inglaterra. O Brasil aboliu a pena de morte em 1882. 

1971 - Forças indianas tomam Dacca, atualmente Bangladeh, concluindo a guerra contra o Paquistão. 

1974 - A Petrobrás descobre jazida de petróleo no Rio de Janeiro. 

1981 - Câmara aprova transformação de Rondônia em Estado. 

1982 - Richard Noble, pilotando o Thrust, bate o recorde de velocidade em terra, chegando a 1046 km/h. 

1985 - Inaugurado reator nuclear na Índia. 

1985 - O presidente José Sarney cria o vale-transporte, um salário indireto em forma de subsídio aos custos de transporte dos trabalhadores. 

1992 - O chanceler alemão Helmut Kôhl anuncia a anulação da dívida de US$ 11,2 milhões da Rússia com o seu país. 

1997 - Depois de mais de três anos, a justiça italiana conclui não haver culpados pela morte do piloto Ayrton Senna, em 1º de maio de 1994, no autódromo de Ímola.