A Marca da Besta

30/06/2017 00:00

 

A Marca da Besta (15/07/1956) § 24, Jeffersonville, Indiana, EUA.

E hoje, quando um homem ouve as boas novas, Cristo morreu em seu lugar, não há nada que você possa fazer sobre isso, Cristo pagou o preço, o som do Evangelho, você pode descartar cada cigarro, cada mastigar de tabaco, cada garrafa de uísque, cada – cada coisa que está amarrando você e dizer: “Eu sou livre. Estes são as boas novas. Cristo fez-me livre”. Você é um povo livre. Você não tem que sair mais. Você não tem de servir ao diabo por mais tempo. Você pode ser livre se você deseja ser livre. Agora, você não precisa beber; você não tem que correr; você não precisa maltratar sua esposa; você não tem que amaldiçoar; você não tem que mentir; você não precisa roubar; você não tem que estar cansado. Ora, você tem os recursos lá que nunca foram aproveitados das abundantes bênçãos de Deus das quais o mundo nada sabe. Você diz: “Devo ter um pouco de prazer”. Ora, irmão, se você já ouviu as boas novas da trombeta, os prazeres mundanos parecem tão pouco que eles são como o metal que soa e um sino que tine. Você não precisa de mais nada.